Rótulos, quem precisa deles!?

texto53

Quem nunca disse a seguinte frase: “Nossa ela é tão antipática.” ou “Aquele cara é gente finíssima.” dentre outros rótulos que o ser humano tem o prazer de sair por aí distribuindo a tudo e a todos.

Sinceramente, isso me cansa, e muito!

Por que ninguém está satisfeito com o outro? Por que sempre querem que a outra pessoa aja, pense, fale, se vista, sorria e faça tudo do jeito que é certo ao seu modo de ver?

Sempre sou rotulada como a metida, a antipática, a que fala pouco, a estressada, a contestadora, enfim… no auge dos meus 30 anos já recebi muitos rótulos. E de muitas pessoas que me deram esse rótulo, depois ouvi coisas do tipo “Poxa Carol, você é legal, mas no começo achava você tão séria.” (leia “séria” como um eufemismo de “antipática”).

E daí as pessoas acabam vendo que sou simplesmente uma pessoa reservada e que há muito tempo deixei de querer agradar a todos. Se nem Jesus conseguiu, o que dirá eu!

Eu também já errei ao rotular outras pessoas – sou humana, tenho defeitos e pecados como qualquer um – e depois também me surpreendi positivamente. E uma dessas pessoas hoje é a minha amiga mais antiga, nos conhecemos quando eu tinha 13 anos no Ensino Médio e graças a Deus somos amigas até hoje – lá se vão quase 20 anos.

Por isso, hoje aprendi que quando antipatizo com alguém a primeira vista, pode esperar, vamos nos dar bem depois que formos nos conhecendo. Dito e feito! Isso sempre acontece.

Portanto, parei de rotular tanto as pessoas, agora trabalho essa sensação que tenho a priori e deixo o tempo passar e me mostrar o que acontecerá.

O mundo está cheio de “gente perfeita”, que se acha exemplo de caráter, e que pode julgar e rotular a todos. Cansei de ouvir pessoas falando “Fulano? Meu amigo pessoal! Amo de paixão”, outras mal conhecem a outra e já saem falando “Amiga, te adoro!” e por aí vai…

Quando o tempo passa, as máscaras caem e acabam revelando o que realmente achavam da outra e, principalmente, a essência destas pessoas tão “bacanas” – que adoravam tudo e todos.

Seria muito bom se chovesse uma chuva de humildade, lealdade, transparência e sinceridade. De forma que lavasse toda essa falsidade e hipocrisia que hoje se instala na maioria da sociedade.

Para aquelas pessoas que adoram sair por aí rotulando todo mundo, algumas perguntinhas:

  • Por que você se incomoda tanto se o colega de trabalho não quer participar da panelinha? O que mudaria na sua vida se ele participasse da sua panelinha? O que mudaria na vida dele? Nada!
  • Por que você se incomoda se aquele cara passa e não sorri pra você? Já pensou que ele pode ser distraído e nem ter percebido a sua presença?
  • Por que você se incomoda com aquela garota do trabalho que fala palavrão, ri alto, brinca com todo mundo ? Será que você não gostaria de ser que nem ela? Autêntica, verdadeira e que não se importa com rótulos.
  • Por que aquele cara que não saí pra beber com o restante da galera é rotulado como antisocial? Ele por acaso tem obrigação de sair com você? Já pensou que ele pode ser um ex-alcoólatra? Ou ter algum problema que faça essa “social” ser algo que ele queria evitar?

Enfim, como dizia minha avó: “O coração do outro é terra que ninguém pisa.”

Você não passou pelo caminho que o outro seguiu. Você não viveu a vida da outra pessoa. Portanto, você não sabe por quais armadilhas, dificuldades, problemas e vitórias ela passou. Então, antes de sair por aí rotulando, criticando e disseminando seu veneno gratuitamente, pense: eu gostaria que falassem isso de mim?

Duvido que a resposta seja Sim, por isso aprenda a respeitar o outro e a guardar suas opiniões para você.

Finalizando, deixo essa imagem para refletir…

texto53fim

Luz e sabedoria a todos.

5 comentários

  1. Luiz Shigunov

    Um texto forte e direto, mas verdadeiro 🙂 Somos excelentes em criticar os outros, mas péssimos em tentar entender os outros. Acredito que vale a pena rever isso. Talvez isso nos torne mais felizes.

  2. Janyr Gomes da Silva

    Acredito que isso dificilmente acontecerá.Gosto dos seus textos e da sua capacidade de abordar temas bem interessantes. Boa sorte nessa sua caminhada.

  3. Jaíne Queiroz

    Primeiramente, ótimo texto, parabéns.Direto, preciso e objetivo.
    Essa coisa de “olhar depressa demais” para outro me incomoda pois a pessoa só vê a capa e não a essência, o interior da pessoa.Olhando por outro lado, convenhamos, que o rótulo diminui distâncias.Por exemplo: imagina se eu parasse para conhecer cada ser da face da terra… Demoraria uma eternidade. Então de certa forma,o rótulo ajuda um pouco nas interações sociais.
    Penso que o grande problema está em usar o “rótulo” para debochar ou diminuir alguém.

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *