Insegurança Feminina, como enfrentar?

since1
No post passado “Não basta dizer “Te amo” é preciso ter atitude coerente.” falamos do problema que muitos casais enfrentam: a insegurança da mulher em relação ao amor do marido.

Como vejo diariamente algumas amigas passando por isso decidi me aprofundar mais no tema. O texto de hoje trás dicas para os homens, explicando como eles podem ajudar suas amadas a superarem essa situação.
Nós mulheres somos por natureza mais inseguras que os homens. Isso é um fato! Logo, precisamos trabalhar diariamente esse sentimento que não facilita em nada nossa vida, pelo contrário, só nos atrapalha.

Até mesmo as mulheres mais autoconfiantes lá no fundo se sentem inseguras em alguns aspectos de sua vida.

Por isso, homens, não nos basta ouvir: “Eu te amo”, “Só tenho olhos para você”, “Você é a mulher da minha vida” se nas suas atitudes você não comprova isso.

Funciona mais ou menos assim:

O marido chega e vê sua mulher calada, com um semblante triste, e ao invés de perguntar o que está havendo ele a evita e finge que nem percebeu – para fugir de uma possível conversa.

Então, a esposa só reforça o pensamento “Viu, ele nem reparou que estou triste, sinal de que não me ama mesmo.”

Antes de dormir, vocês se deitam e trocam um beijo simples de boa noite e o homem diz “Te amo”, vira para o lado e dorme.

Ela vira para o outro, chorando calada, a lágrima desce pelos seus olhos, toca seu nariz e molha a fronha do travesseiro. Em seus pensamento a certeza de que o marido realmente não a ama. Só disse por clichê.

Viram!? É isso que acontece com a maioria das mulheres que se sentem inseguras, pois, o comportamento do seu parceiro não condiz com as suas palavras.

Dica: converse, pergunte, fale, se exponha sem medo. Você vai ouvir ela dizer que está se sentindo insegura porque acha que você não a ama como fala. E nesse momento você pode perguntar o que poderia fazer pra tirar esse sentimento dela e ajudá-la a se tornar uma mulher mais segura e feliz.

Só de você perguntar, se interessar em ouvir, já demonstra que de fato você a ama, porque quem ama cuida. E não ignora ou evita uma conversa.

Elogiar sua mulher, fazer um carinho, dar um abraço demorado e apertado, se interessar pelo dia dela, ouvir o que ela tem a dizer, identificar no tom da voz, no semblante o que ela pode estar sentindo, ligar ou mandar uma mensagem durante o dia só pra dar um “oi, te amo”, coisas simples que se praticada diariamente farão da sua mulher, uma pessoa mais segura, consciente do seu amor, sem neuras, sem medos, sem crises.

Cabe ao homem, diariamente, praticar o exercício do “Eu amo, de verdade, você” por meio de algo muito simples chamado: zelo.

Zelar pelo amor de vocês é zelar por ela, pela vida a dois, pelo futuro de vocês, pela família que construíram.

Não é difícil, basta começar a praticar =)

Leia mais no post “Atenção Mulheres! Homens não gostam de cenas.”

Luz!

17 comentários

  1. Luiz Shigunov

    Gostei do texto e das dicas 🙂 Acredito que na justificativa para o homem não perguntar porque a mulher está com semblante triste pode ser acrescentado que o homem já sabe a resposta que ela vai dar: não é nada, amor. Isso é uma coisa que as mulheres precisam melhorar. Se a pessoa pergunta é porque quer saber! Por que então não falar logo? Ai o homem com seu jeito prático aceita a resposta e a mulher não gosta porque queria que ele insistisse 🙂

  2. […] Vejo também muitos homens que ama, de verdade, suas mulheres e não sabem conciliar em atitudes todo o amor que diz em palavras. Eles estão sempre cometendo os mesmos erros, e tentando resolvê-los com as mesmas técnicas, nunca dá certo. Por quê? Porque eles também só olham para a consequência e nem desconfiam de qual seja a verdadeira causa dessas atitudes. (Veja o post Mulheres, cuidado! Cobrança demais cansa!) […]

  3. Regis

    Gostei do texto, porém me deparei com esta pagina pelo título, Mulheres, cuidado! Cobrança demais cansa! Na verdade é o que tenho vivido ultimamente, minha esposa quer que eu seja mais carinhoso, porém de 10 coisas que fala 9 é me cobrando algo, será que agente consegue ser carinhoso com uma pessoa que fica por conta de te cobrar ou criticar, é o tempo todo, quando não é por uma coisa que deixei de fazer, é porque fiz alguma coisa que não saiu da maneira que queria, estou deixando de ser eu mesmo para tentar satisfazer o desejo dela. Não sou machista, e não tenho nada contra a evolução da mulher na sociedade, porém ao pesquisar na net, vi que só tem opiniões criticando homens, sei que tenho defeitos como todos nós temos, mas para avaliar os outros é necessário fazer uma auto crítica primeiro, porque senão o relacionamento vira uma via de mão única, onde apenas um tem direitos e o outro tem deveres.

    • Caro Regis,

      Você tem razão quando diz que o relacionamento não é uma via de mão única. E com certeza, você ama verdadeiramente sua esposa, pois, deixa claro que está disposto a melhorar para atender às necessidades dela. O que lhe incomoda me parece ser a sensação de que por mais que se esforce, nada adianta, nunca ela está totalmente satisfeita.
      Conheço alguns casais que passam por essa mesma situação, costumo orientar a estes casais que conversem francamente, desprovidos de defesas e acusações, com seus parceiros sobre essa sensação de cobrança excessiva.
      Uma dica: convide sua esposa para um passeio em um parque, ou pela orla da praia, um lugar com contato com a natureza, tranquilo, para que possam ficar conectados e diga a ela o quanto está disposto a se empenhar em melhorar a relação. Entretanto, não dá para mudar do dia para a noite, mostre alguns pontos nela que poderiam ser melhorados e lhe faria mais feliz também. Combinem sobre uma característica de cada, somente uma, a mais importante, para focarem e tentarem mudar. Não será fácil, nenhuma mudança é fácil, mas, vocês precisam se comprometer a mudar. E ao invés de cobrar/exigir/criticar/julgar/sentenciar procurem alertar quando estiverem repetindo o comportamento antigo, com um alerta divertido do tipo “Opa! Vamos focar na nossa mudança.” com um sorriso, um beijo no rosto, com leveza. Mudem de forma mais sutil, o processo não será fácil, mas ele é possível, e se existe amor, é quase garantido o sucesso. Aproveite esse começo de ano e comecem a agir de forma diferente, para lidar com os problemas antigos.
      Um Feliz 2014 a você e sua esposa!
      Beijos e luz na caminhada.

    • Edil

      Nossa nem me fale acabei um namoro devido esses tipos de cobranças dê sem cobrar nada tudo bem carinho é bom mais ninguém nasce igual a ninguém cada ser é único e especial aos olhos de Deus . Obrigado cada um faz oq achar melhor.

  4. […] post “Mulheres, cuidado! Cobrança demais cansa!” mostrei que para mim a causa das mulheres reclamarem tanto está na insegurança natural que […]

  5. Nati

    Muito bom o texto… vivo uma situação inusitada… normalmente são as mulheres que cobram e que sofrem de carência… mas meu esposo faz algum tempinho tem me enchido de cobranças… Apesar de ser sempre carinhosa, nunca me senti bem ao falar “eu te amo”, prefiro mostrar esse sentimento com atos. Mas ele se queixa de não ouvir… Temos 10 anos de casamento e 2 filhos. Não sou ciumenta. Deixo ele sair com os amigos numa boa e não faço cara feia no dia seguinte, pelo contrario, mimo ele com muito carinho, comidinha gostosa e muita tranquilidade em casa…. Sei que me tornei um pouco fria depois de certas atitudes dele mesmo. Ele sempre foi ignorante, machista e já me fez sofrer 2 vezes com uma história maluca que separação, a primeira vez durante meu resguardo do 2 filho (que me fez entrar numa depressão daquelas) e a segunda vez quando ele estava trabalhando embarcado por um período mais longo (6 meses), mas nunca saiu de casa e sempre voltou atrás… depois da última vez eu pensei: “nunca mais sofro por amor.” Foi o que aconteceu, mas em 10 anos de casamento NUNCA disse com palavras que o amo, e sinceramente, não acho que depois de cobranças (até greve de sexo ele ta fazendo) soará de forma sincera e verdadeira. Sinceramente, tem horas que penso que ele está querendo só uma desculpa pra vir novamente com o papo de separação. Por isso nem ligo pra essa greve de sexo, tenho meus “brinquedos” que tb me satisfazem até ele parar com essas cobranças sem fundamentos…. O cúmulo é ele dizer que ultimamente tem saído mais com os amigos dele pra beber pra chamar mais a minha atenção….. não sei mesmo onde ele quer chegar…. Estava tudo tão bem antes dele vir com essas cobranças…

    • Querida Nati,

      Em primeiro lugar, quero agradecer a confiança depositada no Blog, onde confidenciou um pouco sobre sua vida. De todos os comentários já recebidos, sem dúvida o seu foi o mais forte que recebi, por isso demorei um pouco a responder, pois, pensei muito sobre tudo que você escreveu aqui.
      Eu acredito no seu amor por seu marido, mas, imagino que deva ser muito difícil para ele nunca ter ouvido as palavras “Eu te amo” de você: a mulher da vida dele, a mãe dos filhos dele, a companheira que ele escolheu para estar ao lado.
      Atualmente, dizer “Eu te amo” virou algo corriqueiro. E, para mim, “Eu te amo” não é vírgula para usar o tempo inteiro. Essa frase tem um valor muito grande para mim, o que a torna pesada demais para carregar em qualquer momento, a qualquer frase, para todas as pessoas do mundo. Talvez também seja muito valiosa para você. Certamente para os seus filhos você diz isso o tempo inteiro, não é mesmo? Certamente porque o amor que sente por eles é um amor que não feriu, não machucou, não causou dor e nem sofrimento. Por outro lado, o amor que sente por seu esposo, mesmo sendo verdadeiro, já lhe causou dor, derramou lágrimas, trouxe tristezas e muito sofrimento – segundo seu relato. Então, vejo como compreensível você ter se preservado, de certa forma, até se resguardando, de alguma possível nova decepção ou arrependimento em expressar tão clara e diretamente seu amor a ele.
      Você diz que ele tinha uma postura rude e machista, mas, percebo que no fundo, ele pode se sentir carente e para não admitir reage de forma agressiva. Só que perante um pedido de separação você sofreu, ele voltou atrás e vocês continuaram juntos. O que me leva a acreditar que o amor no seu casamento é real.
      Algumas pessoas tem dificuldade para demonstrar o que sentem: carência, medo, fragilidade, tristeza, melancolia, baixa autoestima e procurar se resguardar ou agir de forma agressiva é o meio que aprendem para se esconder, para evitar um sofrimento maior.
      Mediante tudo isso, meu conselho para você é que sentem e conversem claramente sobre isso, não será fácil, mas, quem disse que ser feliz é fácil? Ser feliz dá trabalho? Sim, mas vale muito a pena!
      Não deixe com que palavras não ditas e as emoções escondidas sufoquem o amor de vocês.
      Se for difícil falar, que tal escrever? Compre um cartão bem bonito, romântico e escreva “Eu te amo”, mesmo que já tenha no cartão, e diga a ele que esse sentimento é real e sincero. E peça um tempo, para cicatrizar por completo suas feridas, para se reinventar em uma mulher que consiga dizer “Eu te amo” de maneira natural, espontânea.
      Nenhuma mudança acontece do dia para a noite. O casamento não é uma relação de pessoas perfeitas, mas uma relação onde, mesmo com todos os defeitos, essas pessoas optam por permanecerem juntas, cuidando para resolver cada problema, dia após dia, reinventando o sentimento e a si próprio.
      Paciência, respeito, carinho e humildade são essenciais para uma relação feliz.

      Aqui no blog tem alguns texto com dicas para inovar a rotina do casal e para ajudar a expressar os sentimentos, acho que poderão lhe ajudar.

      Um beijo grande.
      Toda felicidade do mundo para vocês.

      Luz na caminhada.

  6. Thais

    Gostei do texto, namoro a 4 meses e sou super insegura. Meu namorado e super carinhoso comigo, as vezes meio rude mas e uma pessoa meiga. Porem eu morro e medo de perde-lo… tenho crises de choro, pensando que ele n gosta de mim me sinto só, e fim e uma sensacão horrivel. Tenho medo de sufocar ele ao ponto dele m deixar 🙁

    • Querida Thais,

      Obrigada pelo comentário =)

      Esse “medo de perder” é um sentimento que, geralmente, não passa, pois, quanto mais amamos a outra pessoa, menos queremos deixá-las sair de nossas vidas. Portanto, não foque nesse sentimento. Mude seu foco para amadurecer a relação, 4 meses é o comecinho do namoro, uma época mágica, cheias de descobertas um do outro. Não perca esse encantamento focando na sua insegurança.

      Até mesmo porque isso é apenas uma falsa sensação que temos de posse do outro. Porque ninguém pertence a ninguém. E se estamos juntos é por livre arbítrio.

      Viva cada beijo, cada abraço, cada nova descoberta da forma mais intensa possível, sem deixar espaço para emoções negativas e autodestrutivas.

      Não permita que suas crenças limitantes (insegurança, medo, inexperiência, etc) minem sua relação.

      Um beijo e Luz na caminhada!

  7. Luis

    Interessante o texto. O relacionamento entre pessoas não é fácil. O casamento, para mim, está sendo um dos maiores desafios. Mesmo que casei com uma pessoa a qual namorei por 10 anos, sempre me senti pressionado e sufocado. Não é fácil satisfazer alguém, quando se sente pressionado e responsável pela felicidade de outra pessoa. Teve momentos que sentia necessidade de pular de uma avião, de paraquedas, para gritar e colocar para fora tudo aquilo que me incomodava. Mas consegui um alívio no peito sem tal façanha. Bastou, olhar para mim e verificar que eu não preciso agradar a ninguém. O amor não é uma obsessão, que devo ficar alerta 24 horas, pronto para levar felicidade para alguém. Na verdade devo levar a felicidade para mim mesmo. A partir desse momento em que agrado minha alma, as plantas voltam a florescer, e o meu jardim começa a ser admirado pelas pessoas que, de fato, realmente querem o meu bem. Mas não é fácil, pois no momento de obsessão, apesar de eu me sentir pressionado e angustiado, no meu caso, minha esposa estava confortável. Afinal, eu vivia a vida dela. Mas e a minha vida? Eu anulava diante dela. Isso gera infelicidade, pois em algum momento, essa bomba relógio iria explodir. Não chegou a explodir. Mas com a mudança (na verdade não é mudança e sim um despertar), um novo incômodo começou a surgir. Não houve necessidade dela falar, pois a pessoa que me casei é bem fechada. Mas é possível notar. E a impressão que dá aos olhos de fora é que eu estou sendo egoísta. O que não é verdade, pois na verdade eu estou em busca do meu autoconhecimento. O verdadeiro amor é cuidar do jardim para que as borboletas possam voltar. Não significa que tenho interesse em outras mulheres, mas que a auto estima é importante para mim. Para que eu viva em paz comigo mesmo. Se não estamos em paz com a gente, dificilmente teremos um relacionamento saudável com outro. Só que o que me deixa triste é que nem sempre aquela pessoa que se casou está preparada para buscar o autoconhecimento. Isso gera conflito quando se tenta convencer a pessoa de que encontrou o caminho da vida, e que ela deveria ir junto. Na verdade cada vez mais vejo sentido em um das lições de Deepak Chopra quando fala acerca da lei do mínimo esforço. Pensei esses dias, por que muitas pessoas separam após alguns anos de casamento? Penso eu que seria justamente o fato de que as pessoas criam personagens antes de se casarem. Após algum tempo de casamento, é natural o seu Eu falar mais alto e querer sair. Querer tirar essa máscara. Então, um nova pessoa surge…Vejo o casamento como um grande aprendizado. Mas confesso, que como ser humano, sinto falta também de atenção, de carinho, etc. Sinto falta de apoio. Não gosto do tradicional. Gosto do excêntrico, do exótico, do novo, do desconhecido. Gosto de experimentar. Após meu despertar esse ano, que levou 37 anos, gosto de realmente viver a vida. Mas o desafio é conviver com uma pessoa tradicional, que não acredita no alternativo, e que vê a vida como bem sucedida quando tiver mais dinheiro, uma casa maior, etc, ou seja, busca a felicidade no exterior, não no interior. É o meu maior desafio: o casamento.

    • Tem razão Luis, o casamento é mesmo algo desafiador. Obrigada por compartilhar sua história com o blog. Luz e muita felicidade para você e sua esposa.

  8. AA

    Embora a iniciativa proposta pelo texto seja boa, a premissa é ridícula, e digo isso por experiência pessoal. Meu último namoro foi regado a cobranças com relação a diversos aspectos, tanto pessoais quanto profissionais, e eu sempre me empenhei no ponto citado pelo texto: era carinhoso, compreensivo, ouvia as aflições dela e tentava ser o melhor namorado que podia ser, ao mesmo tempo que, exatamente em razão dessa compreensão, não exigia mais do que ela podia me dar. Resultado? Ela cansou de mim. “Mudou o sentimento” pra algo “fraternal”. Fica muito difícil confiar no sexo feminino depois desse tipo de situação, com toda sinceridade.

  9. mateus

    Moça minha esposa cobra carinho todos os dias, diz que não estou nem ai pra ela e que quando tenho 10 min livre estou ocupado. Ela se esquece que eu entro as sete e meia no curso e volto p casa la pela 13:00hr e tenho duas horas livres para almoçar e resolver questões do cotidiano, saio para trabalhar as 15:00 e volto as 00:00, mesmo assim procuro dar atenção elogios mas para ela não eh o suficiente. Tento explicar que estou cansado ou agitado de tanto correr mas ela não entende. Você acha que no dia a dia tão corrido tem como parar para ficar de namoro? Ela não tem que entender que eu me esforço por nos dois, tanto quando estou estudando como trabalhando?
    Ou eu estou sendo negligente?
    Detalhe ela reclama de não estar trabalhando mas dorme a tarde toda e não vai atras de serviço, ela quer que eu encontre p ela.
    Deixo esse comentário como forma de desabafo também.

  10. Rodrigo Fernando

    Vi o site e vou deixar tbm meu relato. Trabalho em esquema de plantão, cerca de 30 horas seguidas. Qndo chego em casa, chego morto de cansado. Ai a esposa ao inves de dar um bom dia, olha-me com a cara feia, não traz nenhum um copo de água e começa as reclamações. Além disso, a esposa diz que não quer nem saber o que aconteceu durante o meu trabalho: segundo ela diz, não tem estrutura para ouvir sobre meu trabalho. Sou da polícia e realmente o trabalho é pesado: muitas prisões, gente mortas, e coisas do tipo. Só que o que está acontecendo é que isso tem me intoxicado bastante: não tenho literalmente ninguém para conversar. Se eu sentir medo de morrer enquanto trabalho, isso vai ter que ficar escondido e não vou poder falar nada. Isso por si só já é um peso enorme. Não bastasse isso, desde que a gente casou, a mulher passou a reclamar de tudo, de tudo mesmo. A mulher fica procurando coisas pra entrar num conflito, pra brigar. Se eu fizer as coisas, ela reclama porque fiz como eu sei fazer e não como ela queria eu fizesse. Se deixo de fazer, a mulher também reclama agora porque não estou fazendo. E pra piorar agora de uns tempos para cá, acho que a mulher perdeu o respeito: acha que pode falar comigo como se eu fosse qualquer pessoa, usa tom de voz de gritaria, não ouve o que falo e quer a todo momento brigar. Mais recentemente por causa da crise financeira, resolvi abrir um comercio para tentar ganhar algum dinheiro pra ver se consigo ajuntar dinheiro pra comprar uma casa, se estabelecer na vida. Mas aí que isso me deixou puto: peço ajuda pra mulher e ela se vira e diz: “se vira, foi você que inventou isso”. Cobrança demais cansa. E cansa ainda mais quem já está sobrecarregado. Eu já falei isso pra ela. Pedi que fosse uma pessoa mais agradável, que me ajudasse na construção da família, que me ajudasse com o trabalho porque estou sobrecarregado; mas não adiantou, a coisa continua do mesmo jeito. Para mim, meu casamento ja acabou. Estou cansado de tanta reclamação, cobrança, falta de cumplicidade, de companherismo, confiaça. Sexo? posso pagar por isso, mas se a pessoa com que me casei não pode oferecer um mínimo de paz, de compreensão, acho que é melhor acabar e cada um seguir o próprio caminho porque não dá pra viver 24 horas sob stress. A atividade na policia já é bastante desgastante e não ter nenhuma paz em casa, tudo isso está acabando comigo.

  11. Thais

    Ola. Me identifiquei muito com os textos.
    Sou casada a 8 anos, temos três filhas!
    No começo da nossa relação ele sempre deixou muito claro que não me amava, durante os primeiros 3 anos foi assim, até que ele me aprontou, ficou com uma mulher no finalzinho da minha gestação da segunda filha, eu tinha confiança nele, pois sempre me passou confiança por mais que dizia que não me amava.
    Pra mim foi a pior coisa só mundo pois confiava muito nele e me decepcionei! Enfim…
    Nasceu a nossa filha e depois de alguns meses mesmo morando junto nos acertamos, depois de um ano ele foi viajar para outro estado ficou alguns meses la trabalhando, e nesse tempo até hj ele me diz que me ama e que essa viagem foi boa pra pensar em relação a nós dois, Ele é um homem maravilhoso, faz tudo por mim e pra mim!
    Mas infelizmente eu tenho minhas desconfianças e cobro demais as coisas dele.
    Não consigo ter um pingo de confiança, Eu amo demais ele, e não consigo imaginar viver longe dele, porém essas desconfianças que me matam.
    Eu sei , eu confesso que sou demais, mas é mais forte do que eu.
    Vou procurar ajuda para tentar manter meu casamento mas é mto difícil.
    Será que eles podem mudar?
    Sempre ouvi a frase QUEM FAZ UMA VEZ , FAZ SEMPRE.
    Ele é músico e passa mais de semanas fora de casa isso que me deixa mais insegura 😕😕

    • Caroll Souza

      Thaís, se há amor vale a pena tentar. A começar pelo seu amor próprio, cuide de você e procure um apoio psicoterapêutico. Vai lhe ajudar a entender muita coisa que relatou aqui.
      Beijos

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *