O Bambu e o Carvalho.

97
Um dia me contaram a seguinte história…

“Em uma pequena cidade do interior, um avô levava seu netinho, de sete anos, para passear no bosque que havia no fim da rua  todas as tardes. Esse passeio ocorria desde quando o menino tinha dois anos. Eles só não iam se houvesse alguma razão muito importante. Em uma noite, após retornarem do passeio, um temporal muito intenso, com ventos fortes, chuva nunca vista naquela época do ano e muitos raios devastaram o belo bosque. Depois daquela noite, o dia ainda amanheceu chuvoso, mas, inesperadamente a tarde o tempo melhorou e o sol chegou, permitindo que o passeio rotineiro pudesse ser realizado. E lá se foram, mais uma tarde, o avô e seu neto para um novo passeio, onde o menino descobria o mundo com suas perguntas curiosas sobre tudo. E o avô, no auge dos seus setenta e cinco anos, toda sua experiência de vida e a sabedoria adquirida, respondia gentilmente e com grande satisfação a cada questionamento recebido. Ao entrarem no bosque, após percorrerem alguns metros, o menino pode ver que grande parte havia sido devastada. Entretanto, uma outra parte tinha se mantido intacta. Então, o curioso menino perguntou: “Vovô por que só os bambus não caíram? Olha só, todos as árvores de carvalho caíram!! Por quê vovô? O que houve?”
Então, o avô respondeu sabiamente:”Meu querido neto, o bambu assim como o carvalho é uma árvore muito forte, muito firme. Mas, entre essas duas belas árvores, existe uma importante diferença: a flexibilidade – o carvalho é firme, mas inflexível, bem diferente do bambu que além de forte, firme, também é flexível e por isso conseguiu se inclinar quando os ventos fortes o empurraram, quando as águas intensas da chuva o encharcaram. Portanto, a força do carvalho não foi suficiente para aguentar os efeitos do temporal. Já o bambu conseguiu resistir e se curvar diante da intensidade do mesmo temporal, voltando a se reerguer e mantendo-se firme embelezando o nosso bosque.”

A reflexão que quero deixar com essa história é de que não adianta a sua força se não tiver flexibilidade para lidar com as adversidades da vida, com os efeitos-surpresa que desnorteia tudo aquilo que você planejou. Portanto, avalie qual aspecto da sua vida você precisa agir como um carvalho e em quais precisa seguir o exemplo do bambu.

Reinvente-se. E seja feliz.

Luz!

4 comentários

  1. Janyr Gomes da Silva

    Uma linda lição de vida,principalmente para os dias de hoje onde as pessoas estão tão mais egocêntricas.

  2. Muito boa comparação. Na maioria das vezes ser como o bambu, mas tem vezes que não podemos deixar de ser carvalho. Nem que se corra o risco de tombar! Do contrário podemos deixar de ser nós mesmos.

  3. […] delas é entender que a amizade é um carvalho (falamos disso no texto “O bambu e o carvalho”) plantado na minha essência – de forma tradicional, com os prazeres e deveres inerentes a […]

  4. Engraçado que eu sempre digo: “eu envergo, mas não quebro”, mas não conhecia essa história 🙂
    Adorei!

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *