Ex-amigo existe?

aaa

Se você me fizesse essa pergunta há alguns anos, certamente a minha resposta seria, com toda convicção, que sim, existe “ex-amigo”. Entretanto, hoje, com algumas decepções a mais na minha conta da vida, a minha resposta é outra: não, não existe “ex-amigo”. E vou lhe contar o porquê dessa mudança de opinião.

Tenho lido muito sobre relações e, dentre esse assunto temos várias vertentes, uma delas chama-se “Decepção”. E, estudando sobre isso desenvolvi um novo entendimento sobre o que costumava chamar de “ex-amigos”, compreendi que quem é amigo de verdade não vira ex. Nós podemos ter ex-namorado, ex-marido, ex-chefe, agora, “ex-amigo” não. Quando vemos numa relação amorosa um casal que se desfaz, geralmente, não é porque acabou o amor, mas, sim, porque se transformou pela rotina em outro sentimento. Mas, durante o tempo que estiveram juntos aquela relação foi real, foi recíproca, bom pelo menos em grande parte dos casos. Agora, quando você se depara com um dito “ex-amigo”, ao olhar para trás você percebe que não existia uma relação verdadeira, não existia reciprocidade da amizade, o que existia ao invés disso era a sua percepção distorcida da realidade. É aí que mora a decepção que comentei anteriormente.

Nós quando olhamos para o histórico do que vivenciamos com estes “ex-amigos” percebemos que o tempo todo aquela pessoa nos dava sinais de que não era nosso amigo. Isso aconteceu comigo inúmeras vezes, vou lhe dar alguns exemplos: furar encontros sem dar nenhuma satisfação; achar que os meus problemas eram sempre menores do que os dele; me consumir com as lamentações dos problemas que estavam passando, pedir conselhos e ao resolver tais questões não ter a mínima consideração em compartilhar comigo essa boa notícia; passar a infância e a adolescência convivendo diariamente e na idade adulta passar pela rua e virar o rosto; mudar de país sem ao menos me dar um “tchau”. Ih a lista é grande, enfim, resumindo, é perceber que somos tratados como segunda opção, enquanto iludidos, tratamos essas pessoas como prioridade.

O que aprendi com isso? Que a responsabilidade por ter cultivado uma não amiga e ter me decepcionado é exclusivamente minha! Eu não observei o comportamento e as atitudes dessas pessoas comigo, ao invés disso, eu preferi interpretar (claro que pintando tudo de cor de rosa e enfeitando de acordo com o que queria ver e ouvir) o que faziam comigo e depositei inúmeras expectativas no outro. E com o passar do tempo, onde todos os sinais e as atitudes foram se aglomerando e ficando totalmente explícito que aquela pessoa não era minha amiga, eu não tive mais como me iludir. E precisei encarar a realidade do jeito que ela já vinha se apresentando há tanto tempo: fulana(o) não é (e nunca foi) sua(eu) amiga(o)!!!! ACORDA CAROLINA!!!!

Portanto, hoje quando me deparo com essas situações não me puno, recrimino, vitimizo ou entristeço porque sei que não perdi uma amizade, simplesmente, ela nunca existiu.

A mensagem que quero deixar para você é essa: “Observe as atitudes e o comportamento daquelas pessoas que você denomina como suas amigas. Não interprete baseada nas suas expectativas, veja de forma clara e racional a fim de avaliar se de fato está doando sua amizade a quem pode (e quer) retribuir.”

A responsabilidade pelas nossas decepções é somente nossa, que cismamos em interpretar os sinais invés de observar de forma distante e fria o que praticam conosco.

Termino deixando um pensamento que sempre carrego comigo: “Aquilo que fazem contigo é um problema deles. Agora, o que você faz com o que fizeram contigo, é um problema seu.”

Pense nisso. Se preserve. Se cuide. Se proteja. Se ame.

Luz na caminhada! E que aqueles que não puderem se aproximar nos trazendo luz, que encontre seu próprio caminho e não atrapalhe a nossa jornada.

9 comentários

  1. janeth

    Também já aconteceu comigo.Lendo este texto pode observar que acontece com outras pessoas.Gostei muito das dicas e vou passar a estudar o comportamento dos ditos “amigos”,para que as decepções doam menos…

  2. Rai

    Confesso que esse texto me fez abrir os olhos sobre o que é amigo de verdade,ultimamente tenho tido muitas dificuldades em confiar em certas pessoas cujo dizem ser meus “amigos”,mas lendo esse artigo eu percebi que ainda ha pessoas que me valorizam e eu devo retribuir,afinal como diz o texto,deve ser reciproco esse valor que temos um pelo outro.Amizade e uma coisa complicada,ja vi em minha vida muitas pessoas dizerem que sao meus amigos,mas sempre me colocam em segundo plano,mas com esse artigo eu percebi que a palavra amigo nao sao pra qualquer um! Pra finalizar,muito interessante esse artigo que vc fez,precisava ler algo pra me inspirar a valorizar quem me valoriza de verdade,muito obrigado.

    • Caroll Souza

      Que bom Rai. Fico feliz, obrigada por compartilhar seu momento.

  3. Thais

    inteligentíssimo!!!

  4. Vitor

    Mas também existe o caso de uma pessoa que era seu amigo de infância e que ao passar do tempo esse seu amigo foi mudando,sendo assim aquela pessoa era seu amigo mas depois de mudar pode n ser mais. Isso n quer dizer que ele nunca foi seu amigo, mas que muitas pessoas mudam ainda mais amigos de infância e adolescência. Aquele que é seu inimigo pode ser seu amigo amanhã e aquele que é seu amigo pode n ser mais hoje.
    As pessoas mudam, o coração é traiçoeiro, mas princípios continuam os mesmos. Sigo com os meus mesmos princípios mas sempre tentando mudar-me para ser uma pessoa melhor.

  5. Helenice Matos

    Perfeito!
    Estava analisando um “fim de amizade” e pensei exatamente isso: se a amizade acabou, é porque nunca existiu (ao menos, um dos envolvidos nunca foi amigo de verdade).
    Procurei por algo sobre ex amigo na internet e vi seu artigo. Lendo a sua descrição sobre o comportamentos do “amigo-que-não-é-amigo”, tudo se encaixou! Infelizmente!
    Mas, enfim, é digerir a decepção e seguir em
    Frente, né? Abraços.

  6. SILAS

    Muito obrigado pelo texto foi esclarecedor, mas é tão difícil esquecer um “ex amigo meu” nós ja tivemos momentos tão bons já compartilhamos tantas ideias !!
    Essa pessoa já me deu a blusa dela um dia que estava frio e eu estava chorando e bebado por causa de uma ficante ,esse dia estava tão frio e ele me ajudou, nunca esquecerei isso 😢😢😢, essa pessoa ja me abraçou chorando me dizendo seus piores traumas de infância, não tem como esquecer isto 😭😭😭😭
    Só que essa pessoa começou a mostrar sua face arrogante e mesquinha. Ai no mesmo periodo descobri varias falsidades daquelas de um verdadeiro pau no c#, já tentei me aproximar mesmo ele estando errado e pedir desculpas em sinônimo de humildade, mas não adianta ja cansei mas ainda choro de saudades dos momentos muito loucos que passamos junto, foram 4 anos de amizade, ele é aquele tipo que você tem que ficar lambendo e babando ovo para ele ser seu amigo, então eu larguei de ser trouxa.

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *