Se preocupar demais para quê?

Quantas e quantas vezes o seu pensamento fugiu e você não conseguiu tomá-lo novamente em suas mãos?

Por quantos dias você sofreu preocupada com uma quase-possível-situação-futura que não se concretizou?

Aquele medo e desconforto no meio do peito lhe acompanhando desde o começo do dia até o fim da noite é algo comum para você?

Pois bem, essas situações estão crescendo exponencialmente dia após dia na sociedade contemporânea e nós estamos sofrendo (e muito) com isso.

O excesso de preocupação nos gera ansiedade, o mal do século parafraseando o Dr. Augusto Cury.

E esse medo do que de ruim pode acontecer, felizmente, é tempo perdido porque as situações não se concretizam em 99% dos casos.

Então, para que nos preocupamos tanto? O que ganhamos com isso? O que conseguimos evitar com isso?

Quando pensamos racionalmente e duvidamos dos nossos medos e criticamos as situações de ansiedade que estamos nutrindo, acabamos percebendo que é tão ilusório e fantasioso esses pensamentos que eles perdem a força.

Por isso, no livro ‘Ansiedade, o mal do século’, o autor e psiquiatra, Augusto Cury nos ensina a técnica DCD [Duvidar | Criticar | Decidir].

Explicando melhor:

  • Duvidar desse nosso pensamento e do medo nutrido (Isso faz sentido?).
  • Criticar esse sentimento (Tem algum fundamento racional e prático o quê estou pensando e temendo?)
  • Decidir o que fazer (Devo continuar com esse medo ou ser racional e seguir minha vida de maneira natural?).

Uma vez que aplicamos a DCD conseguimos perceber que não nos faz bem alimentar essas situações e que precisamos ter atitudes mais positivas e construtivas no nosso cotidiano.

Precisamos seguir em frente, enfrentando nossos medos, não permitindo paralisar.

Acho essa leitura fundamental a todos nós desse século que vivemos tão preocupados o tempo todo com tudo (e todos).

Por uma vida mais saudável mental e fisicamente.
Luz e sabedoria a todos nós.

Um comentário

  1. Seja claro e honesto com voce mesmo quanto ao que realmente importa para voce. Muitos vao julga-lo por nao seguir um determinado padrao, mas se voce for fiel a seus proprios objetivos e valores, voce sabera o que realmente importa para voce.

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *