Enxoval, o que realmente importa.

Olá Futuras Mamães,

Esse tema é polêmico, hein. Mas, não quero ditar regras sobre o que é certo ou errado, pior ou melhor, bom ou ruim. A ideia desse post é trazer o que foi PARA MIM importante a ser considerado na montagem do enxoval da minha baby.

Aqui em casa fazer o enxoval implicou em reformular os móveis do meu quarto também, pois, eu e meu marido tínhamos cada um o seu próprio guarda-roupa e com a chegada da bebe precisamos unificar ambos em nosso quarto. Começou aí a campanha de convencimento ao maridão dessa necessidade (homem costuma achar que bebe só usa fralda, né? e que dá para colocar tudo em uma ou duas gavetas nossas e está tudo certo..rsrsrs…sabem de nada inocentes..rs).

O meu quarto é pequeno (por isso mesmo dividimos as roupas em dois quartos e armários) e não comportaria os dois móveis lá. Além disso, nós após pesquisarmos muito e estudarmos optamos por colocar o bercinho em nosso quarto nos primeiros meses da nossa filha para que ela pudesse estar mais pertinho de nós. O que implicava em mais um problema a resolver na organização dos móveis em nosso quarto.

Resumindo: dois armários de 6 portas deveriam virar um só! Num quarto com cama box e queen, onde um berço também ocuparia lugar. Simples, né? #sqn

Começamos a fazer o desenho da nova disposição do quarto, orçar móveis planejados e nos deparamos com valores absurdos que variavam de 7 a 18 mil reais! NUNCA que um guarda-roupa valeria isso, né meninas!? Descartamos essa opção. Seguimos para a linha de comprar algo simples, um móvel pronto, e nada comportava as nossas necessidades. A última cartada: móveis modulares. Ufa! Conseguimos! O problema estava resolvido.

Móveis:

Partimos para o quarto dela, que é bem menor do que o meu, e em princípio, acreditei que um guarda-roupa, o berço e a cômoda não caberiam. Mas, conversando com o meu pai ele disse que daria sim, como papai tem um olhar clínico para decoração, confiei no palpite dele e começamos a pesquisar os móveis para ela e as dimensões a fim de assegurar que daria lá e sobraria um espaço para transitar tranquilamente. Buscando móveis novos e usados vimos que a diferença de preço era irrisória. Justificando a minha escolha:

  • O guarda-roupa serviria para estocar as fraldas, produtos de higiene e roupa de cama e banho.
  • A cômoda serviria para organizar o material de troca de fraldas, acessórios e as roupas.
  • O berço, não preciso explicar..rs
  • Revisteiros para criar a biblioteca dela (indispensável para mim!)

Decoração:

Então, comecei a pensar nos enfeites para o quarto. Procurei adesivos de parede e achei um absurdo os preços, desisti. Procurei aqueles quadros de luz indireta, um absurdo também, desisti. Decidi que não compraria nada além de uns nichos coloridos e pedi a minha mãe para fazer um enfeite com feltro para decorar uma parede. Uma das decisões que eu e meu marido tomamos em relação a educação da nossa filha é sobre o valor do consumo de bens materiais, não queremos que ela valorize o ter, mas sim o ser, portanto, comprei uma caixa organizadora média e os brinquedos que ela terá serão apenas os que couberem lá. Quando encher, doamos e aí sim poderão entrar novos. Eu tinha muitos bichos de pelúcia e bonecas, fiquei somente com aqueles que tem um significado emotivo forte para mim, os demais doei. Assim, ficamos com o quarto dela bem simples, colorido e com um limite máximo para os brinquedos que virão.

Roupinhas:

Pedi a uma amiga que teve bebe há um ano para me ajudar a montar a lista de roupas. Minha mãe e minha tia me ajudaram a decidir as roupas de cama e banho. Então, comprei algumas roupas semi-novas, ganhei outras usadas da minha cunhada e as minhas tias deram as demais roupinhas de presente. Além dos presentes recebidos de amigas e pessoas próximas.

Uma variável importante a considerar: a temperatura da estação do ano que o bebe vai nascer. A minha nasceu no alto do verão e segui a ideia de algumas mães que disseram que tinha que ter roupinha de frio (pagão) e acabei nem usando uma boa parte porque estava um calor de 40º!!! Portanto, respeite as temperaturas média da estação do ano.

O que usei muito foi body de manga curta, camisetas, meias leves e um macacão fino. Além de lençol de algodão para cobrir durante a noite. Cueiros só mesmo na maternidade porque lá era ar condicionado o tempo todo. Em casa só uso para forrar o carrinho.

Quando a gente começa a pesquisar sobre o que existe para fazer o enxoval ficamos tontas com a variedade de opções, achei tudo muito exagerado e caro. Então, fiquei com um enxoval simples e variado.

Extras:

O que compraria de novo: colchão para o carrinho do bebe, nicho para o berço (que não precisei comprar porque minha mãe, que é artesã, fez um lindo e a minha baby ama dormir nele), uma banheira simples (coloco na minha cama e pronto, dá uma dorzinha na coluna suportável diante da dor de carregar no colo), o trocador a minha mãe fez para mim de 1m por 1m dupla-face, maravilhoso! Não achei desse jeito em nenhum lugar. O móbile que acende luz, os bichinhos giram e toca música (comprei usado porque dá 400,00 nem pensar!).

Pomada anti-assadura uso a básica e tradicional bepantol, muito boa e mais em conta do que as importadas. E um item que adorei foram calcinhas-fraldas da marca Plenitud (active-fit) que usei nos primeiros dias após o parto porque o sangramento é intenso e não precisamos ficar de calcinha mais absorvente (que vai vazar e ninguém merece mais esse incômodo).

Bom, esses foram os principais itens do enxoval da minha baby que quis compartilhar com vocês.

Espero que tenha gostado.

Boas compras!!!

Um comentário

  1. janete

    Sim,gostei muito. Bem esclarecedor, pena que na minha gestação não encontrei quem pudesse me ajudar.
    Gastamos tanto e usamos tão pouco.

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *