Conversas sobre a sociedade

Você se sente seguro quando anda de ônibus?

texto33

Fiquei muito impressionada com aquele acidente do ônibus da Ilha que despencou do viaduto na Av. Brasil!  Então, resolvi escrever sobre isso hoje.

Será que sou a única que sinto medo quando ando em determinados ônibus?

Quando venho da zona sul em um daqueles ônibus que passam pelo Aterro em direção à Praça XV me sinto saindo de um milagre a cada vez que salto no ponto, VIVA. Porque eles não correm, eles VOAM! É impressionante como os motoristas correm acima da velocidade sem nenhum pudor, nenhum medo do que possa acontecer com os passageiros.

Por que será que isso ocorre? Será apenas a certeza da impunidade caso perca a vida de alguém? Ou será mesmo negligência?

Sei lá, quando os motoristas fazem greve e começam a relatar em quais condições são obrigados a trabalhar fico chocada: baixo salário, alta carga horária, condições precárias dos veículos, pressão psicológica e tantas outras que inviabilizam a qualquer um trabalhar com prazer.

Mas, então fico pensando que eles poderiam trocar de profissão, de emprego, estudar, se qualificar mais. E nem adianta falar que não tem condições nem tempo. Quando se quer, de verdade, consegue-se tempo e tem muito cursinho a preço popular, biblioteca de acesso gratuito e a internet no celular para qualquer um acessar. Ou seja, se quiser mesmo tem como, não vai ser fácil, mas tem que tentar.

Acho que devemos fazer nossa parte e reclamar mais, quando venho da baixada vejo a precariedade dos ônibus, e não reclamo com a Agência Reguladora de Transporte, nem para o 0800 da empresa de ônibus. Tenho que começar a reclamar mais meus direitos. E você reclama? Protesta? Se não faz, que tal começar?

Vamos juntos começar a reivindicar nossos direitos e tentar evitar que sejamos impostos à condições precárias que o transporte público nos impõe. Afinal de contas, pagamos caro (e muito caro) por isso!

Luz pra todos.

5 Comentários

  • luizshigunov

    Eu tenho a mesma sensação quando pego um onibus que vai pelo aterro. O 484 é o pior! Nunca mais pego ele… Eu já reclamei algumas vezes. Mas acho que tenho que reclamar mais. Algumas vezes deixo passar. Falando em onibus, eu acho horrivel os motoristas que aceleram e freiam como se não tivesse ninguém no onibus! As pessoas quase caem. Fora os que não sabem que a embreagem já foi inventada… cada tranco na hora de trocar a marcha! Antigamente os motoristas da Real eram bons. Hoje em dia é tudo a mesma bosta 🙁

  • Janyr Gomes da Silva

    Concordo com vc e acho que devemos reinvindicar nossos direitos começando pelos políticos que colocamos em Brasília para nos representar e no final só pensam no próprio bolso.

  • O tour nosso de cada dia nos dai hoje...

    Eu também penso o mesmo. Não tenho carro, mas ando de ônibus com menos frequência, mas já andei muito. Na época de 2oGrau, voltando da Tijuca, um motorista do 638 começou a correr desesperadamente e falava “é meu último dia de profissão e eu vou correr o quanto quiser”. Subiu o viaduto do Méier e todos desesperados. Até que quando descemos, um homem ia quebrar a janela de emergência pra sairmos, pois o ônibus estava perto do Corpo de Bombeiros e a rua estava engarrafada. Logo perceberam e os bombeiros vieram pra tirar ele do voltante.

    Nesta tragédia da Ilha eu imaginei se fosse nesse ônibus que eu passei essa agonia. Isso foi em 1997, hein! Hoje em dia eles trabalham como cobradores, além de motoristas e reclamam. Até entendo. Mas poxa, por que não estudar para se aprimorar em outra profissão? O mal hoje em dia é trabalhar insatisfeito, mas ficar de braços cruzados reclamando.

    Enfim, eu não me sinto segura. Realmente, aqui no RJ os ônibus voam! Não tem lugar seguro pra sentar, infelizmente. Eu reclamo quando vejo coisa errada. Semana passada mesmo reclamei de um ônibus que amassou a lateral do carro de uma moça e ela não conseguiu seguir o ônibus. Motorista cara de pau saiu e dizia pra mim que estava lá atrás e presenciei tudo “eu não senti que bati, então vou seguir”. Estava com pescoço imobilizado e, talvez por isso, não deu para dar uma acelerada e segui-lo. Recebi e-mail da Fetranspor dizendo que a empresa já tinha sido notificada pela minha reclamação. Fiz isso para servir de testemunha de uma pessoa que saiu no prejuízo e que possa ter pensado “estou sozinha nessa”.

    Agora é torcer pra que acidentes assim sejam evitados… muito triste tudo isso.

    • Carol Souza

      Nossa Aline que horror! Como pode ter pessoas tão pertubadas na direção!?

      Você faz certo, estou tentando me policiar para começar a reclamar mais também.

      Olha atitudes como essa para ser testemunha é algo cada dia mais difícil de ver. Precisamos de exemplos assim e pessoas corajosas para diminuir a imprudência e impunidade que existe latente no nosso trânsito de cada dia.

      Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *