Conversas sobre a sociedade

A Polêmica das Biografias “Autorizadas” (?)

texto81

Nos últimos dias, tem sido discutida a questão sobre a autorização prévia dos artistas para a publicação de suas biografias.

Algumas correntes sustentam que tais artistas enquanto anônimos, no começo de sua carreira, faziam de tudo para sair dessa vida comum e alcançar a fama tão esperada e o reconhecimento do público. Então, os defensores desta corrente apoiam a publicação sem autorização prévia dos artistas de suas biografias e também são contrários à divisão dos lucros com tais artistas.

Sinceramente, não compartilho deste pensamento e acho que hoje em dia com o avanço da internet e a exposição nas redes sociais as pessoas estão confundindo os cenários. O artista que no começo da carreira lutava pelo sucesso, pelo reconhecimento do seu trabalho, da sua arte, não queria que sua intimidade, sua família, as pessoas que ama fossem expostas para o público de forma desmedida e inapropriada. Não era isso que eles buscavam! Uma coisa é ter sua arte, seu rosto, suas músicas, suas ideias expostas, reconhecidas e admiradas. Outra bem diferente é ter seus medos, fraquezas, frustrações, derrotas, tragédias e tristezas expostas de forma fria, mercenária e banalizada.

Nenhuma pessoa, que tenha bom senso, se expõe nas redes sociais postando uma foto tão logo acorde pela manhã, sem ao menos pentear os cabelos e lavar o rosto. Não expõe nas redes sociais seus medos mais íntimos, suas decepções, fraquezas e seus traumas. Não saí por aí gritando aos quatros cantos a intimidade de seus familiares, amores, filhos e amigos. Não grita ao mundo com quem passou a noite anterior, se o sexo foi bom ou não, se no dia seguinte continuaram juntos ou se foi cada um para o seu lado e nunca mais se viram. Enfim, cada um controla o que deseja expor ou não sobre si mesmo. Então, por que os artistas tem a obrigação de ter a sua intimidade exposta a qualquer custo, sem nenhum cuidado, simplesmente por terem alcançado o sucesso em suas carreiras!? É justo isso? É correto?  É moral isso?

Na minha opinião, não. Isso não é correto. Não é justo. Eu não gostaria de ver minha vida exposta sem nenhum cuidado por terceiros. E você gostaria?

Ninguém tem o direito de expor o outro. Não somos “deuses” do universo. Temos que aprender a respeitar o outro. A ver da vida do outro, aquilo que ele julga necessário, apropriado e deseja expor.

Respeitemos um ao outro.

O nosso direito no mundo começa, quando termina o do outro.

 

Luz!

6 Comentários

  • luizshigunov

    Sem dúvida um tema polêmico. Eu concordo que expor a intimidade mesmo que de uma pessoa pública é ruim e desnecessário. Mas sou contra a autorização prévia. Eu acho que o melhor seria uma punição severa no caso do desrespeito à privacidade. Imagina uma punição que pegasse o dinheiro da venda dos livros. Nenhuma editora publicaria mais.

    • Carol Souza

      Pois é Luiz, não sou a favor da liberdade total. Acho que após exposto o biografado já perdeu sua privacidade. Ao meu ver de nada adianta retirar os livros de circulação. Para manter a privacidade é preciso permissão sobre aquilo que desejam expor antes de publicar, porque depois, já foi tudo lido, exposto, distorcido, comentado, caiu na internet, nunca mais terá volta.

  • Renata Braga Pessoa

    Não acompanhei nada sobre isso, apenas soube pela revista Veja que sou assinante e que a capa desta semana fala sobre isso, mas não tive tempo de ler…

    Concordo com vc! No meu caso, que tenho um blog onde exponho minha vida e minha intimidade, realmente nem tudo coloco ali, controlo realmente o que quero e o que não quero expor, ficaria muito indignada se me expusessem de uma forma que eu não aprovasse…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *