Conversas sobre a sociedade

Nós exigimos RESPEITO!

fig2a

O IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou essa semana uma pesquisa que revela, que para 65% dos consultados a mulher é responsável pela agressão que sofre, pois, se ela soubesse se comportar, poderia evitar ser assediada, estuprada e agredida.

Mediante tamanho absurdo, e indignada, resolvi escrever sobre o que penso deste resultado.

É inacreditável o quão retrógrada é nossa sociedade, machista e autoritária! Como alguém pode achar que a vítima da violência pode ser seu próprio algoz!? O que dá ao outro o direito para nos agredir? Quem autoriza essa agressão a si própria? Você faz isso? Eu NÃO! E acredito que nenhuma mulher, em seu juízo normal, que tenha amor pela sua vida faz isso!

Gostaria muito de refazer essa pesquisa para estes consultados, só que fazendo um pequeno ajuste na pergunta. Eu gostaria de perguntar: “Se sua mãe, esposa, filha ou irmã sair a rua com roupas sinuosas, você acha que ela estaria dando o direito aos homens de estuprá-las?”

Sinceramente, acho muito difícil, muito mesmo, que esse percentual de 65% se mantivesse favorável. Porque, quando trazemos a questão para a nossa realidade, quando a violência nos afeta, quando nós somos o agredido, a situação muda totalmente de figura. Como dizia o velho ditado: “Pimenta nos olhos dos outros é refresco.”

Então, para você que respondeu “Sim” a essa pesquisa, peço que repense sua posição, pois, as mulheres da sua vida também estão passíveis a se tornarem vítimas destes crimes. E, por favor, não me venha com discurso falso moralista dizendo que a sua mulher não, pois, ela não se veste exibindo o corpo, que ela sabe se comportar, porque para os psicopatas, pervertidos, bandidos que violentam mulheres, o conceito de “ normalidade” não existe conforme os nossos padrões.

Não acho bacana mulheres que usam roupas vulgares, que frequentam ambientes onde as mulheres não são respeitadas, que apoiam “músicos” que escrevem letras de “músicas” que fazem apologia ao sexo e que se aproveitam do corpo das mulheres para fazer fama.

Entretanto, sou contrária a este comportamento, por questões de crenças pessoais, pois, atitudes como estas só nos desvalorizam ainda mais perante a sociedade. E, além disso, esse comportamento vai de encontro a tudo que as grandes feministas da nossa história lutaram, sofreram, e, algumas, até perderam suas vidas para nos defender na luta pelo direito ao voto, a termos direito de trabalhar fora de casa, a termos o direito de estudar, de pensar e agir por conta própria.

Todavia, essas mulheres que, no meu ponto de vista, possuem um comportamento que as desvaloriza também são dignas como eu e todas as outras mulheres de respeito. E a forma de vestir, falar, andar, dançar, nada disso concede permissividade a nenhum homem de molestá-las, agredi-las, violentá-las no trem, no metrô, nas boates, na rua, dentro de casa, em nenhum lugar!!

Vivemos em uma sociedade democrática! Não vivemos no Oriente Médio! Não somos obrigadas a usar burcas!

SOMOS LIVRES! RESPEITEM NOSSOS DIREITOS!

Cabe a nós mulheres não aceitarmos essa violência! A denunciar os agressores!

A buscar por justiça, por mais difícil que seja, esse é o nosso papel, pois, se nós não brigarmos por nossos direitos, ninguém mais o fará!

 

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/para-65-mulher-com-roupa-que-mostra-corpo-merece-ser-atacada-12006214

Um comentário

  • luizshigunov

    Inacreditável o grau de machismo no país. Pior que o machismo está na própria mulher uma vez que perto de 66% dos entrevistados eram mulheres! Dizer que a roupa influencia não é válido porque muitas são violentadas mesmo estando com roupas “comportadas”. Ainda temos muito que melhorar. Triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *