Conversas sobre as dores da alma

Participe desse desafio.

images

Já que está uma onda de desafio do balde de gelo, da foto sem maquiagem e tantas outras, acho que seria muito interessante também lançar esse desafio: cada um cuidando da sua própria vida.

O que mais ouço ultimamente (e vejo) são pessoas cuidando da vida alheia ao invés de cuidar da sua. No salão minha cabeleireira disse estar profundamente desmotivada com o ambiente do trabalho porque os outros profissionais ficam incomodados com a alta produtividade dela e ficam criando intrigas sobre ela o tempo inteiro. E quem no trabalho não se sente monitorado pelos pares, não é mesmo? E na faculdade, tem sempre aquele grupinho que fica vigiando seus passos, suas notas, e criticando o mérito que os professores lhe concedem, certo? Na igreja também não é diferente, conheço várias pessoas que reclamam por serem perseguidas por outros membros que sentem inveja deles.

É não é fácil entender porque algumas pessoas dedicam tanto tempo cuidando da vida alheia e deixando as suas de lado. Eu fico intrigada com isso é muita falta do que fazer, do que pensar, do que falar. O mais intrigante disso é que essas mesmas pessoas se queixam de suas próprias vidas: que ganham menos, que não conseguem boas notas, que só são criticadas pelos chefes e uma infinidade de reclamações sobre si mesmo. Daí questiono essas pessoas: será que se você cuidasse mais da sua própria vida, estudasse mais, aprimorasse sua qualificação profissional, será que você não conseguiria melhorar os aspectos da sua vida que tanto lhe incomoda? Acho que sim. Que tal tentar?

A vida é um presente raro, que devemos cuidar e nos dedicar ao máximo para torná-la cada vez melhor.

Não perca seu tempo cuidando da vida alheia, você não irá acrescentar nada de bom na sua e só atrapalhará com sua negatividade a do outro.

Olhe pra si. Cuide-se mais. Respeite-se mais. Preserve sua vida.

Evolua!

Luz!

2 Comentários

  • luizshigunov

    Esse tipo de “cuidado” com o outro é dispensável. Se tivesse um interesse real em ajudar o outro a crescer até valeria ficar prestando atenção no que o outro faz ou deixa de fazer. Mas como são pessoas pequenas, perdem a oportunidade de ser feliz e fazer o mundo ao seu redor um pouco melhor.

Deixe uma resposta para Janyr Gomes da Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *