Conversas sobre as dores da alma

O paradoxo dos insatisfeitos.

pp

Li uma matéria no jornal Extra informando que a cantora e funkeira Valesca Popozuda será colunista semanal. E, ao seguir para os comentários – para desejar sorte a ela por essa nova empreitada – mais uma vez, me deparei com uma enxurrada de grosseria, agressividade, desrespeito e ofensas de pessoas que, claramente, não gostam da cantora e nem do jornal. Então, lembrei que vejo o mesmo tipo de destilação de raiva e xingamentos no perfil da Presidenta Dilma Rousseff, do ex-Presidente Lula, da cantora Preta Gil e tantas outras personalidades que não agradam a maioria.

Sempre quando me deparo com isso fico imaginando o que motiva essas pessoas a perderem seu tempo e energia para distribuir tanta coisa ruim para estas pessoas, que insistem em dizer que não gostam!? É muito contraditório esse comportamento: não gosto, porém, sigo nas redes sociais; não gosto, porém, comento em todas as matérias que leio; não gosto, porém, compartilho as notícias apenas para criticar…e tantas outras atitudes paradoxais cometidas por estas pessoas.

No fundo, acho que são pessoas infelizes, com baixa auto-estima, que olham para estas personalidades e sentem uma profunda frustração por não ter a posição social delas, a coragem delas, a auto-estima que estas possuem, onde, mesmo diante de tantas ofensas se mantém firmes e seguindo em frente.

Esse é o ponto crucial, estas personalidades seguem em frente, passando por cima dos preconceitos, das ofensas, dos julgamentos, de tudo de ruim que recebem gratuitamente deste anti-público frustrado.

Tem várias personalidades que eu não gosto do estilo musical, do comportamento, dos valores, e o que faço sobre isso? Não nutro nenhum interesse. Não sigo nas redes sociais, não conheço as músicas, não dou meu voto, não comento, simplesmente, sigo minha vida olhando para aquilo que gosto e me faz bem. O restante não me interessa, não corro atrás, não busco saber porque não fará nenhuma diferença positiva para mim.

O respeito é base de qualquer valor. Independente se eu goste ou não de você, manterei o respeito, porque eu aprendi isso no meu núcleo familiar.

Deixo essa mensagem para você que adora destilar veneno, ofensas, críticas, impropérios, baixaria nas redes sociais das personalidades que você diz não gostar: VIVA A SUA VIDA. Eles não precisam da sua “audiência” assim como você não precisa correr atrás de notícias deles para fazer sua vida melhorar. CORRA ATRÁS DO QUE LHE FAZ FELIZ!

Seja coerente com seu discurso.

Luz e (muita, muita mesmo) sabedoria!

 

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *