Conversas sobre as dores da alma

Entre Queixas e Questões.

images

Dia desses, após um tempo sem nos vermos, reencontrei alguns amigos e durante a conversa percebi que as reclamações não tinham mudado. Lá estavam elas intactas: as mesmas falas, os mesmos personagens, as situações idênticas e, o mais grave, as mesmíssimas atitudes perante estas por parte deles, tudo ali, como um “Vale a pena ver de novo” diante dos meus ouvidos.

Fiquei pensando no que iria falar dessa vez, tendo em vista que meus argumentos para tais cenários também eram os mesmos, eles precisavam mudar de atitude, ou melhor, tomar uma atitude e sair do comodismo. Então, apenas sorri, na maioria das vezes, pois, eu mesma estava cansada de ouvir meus argumentos para mostrar aos meus amigos que suas atitudes permaneciam intactas, portanto, não existiria chance de um resultado diferente.

Vim embora pensativa. E, um tempo depois, conversando sobre isso com outra pessoa, que estava fora do contexto, ela me disse algo revelador: “Essas situações de seus amigos ainda não se tornarão questões, são apenas queixas. E só serão tratadas (leia-se resolvidas) quando se tornarem questão.” – parei e pensei em cada uma dessas palavras e concordei com absolutamente todas.

A diferença entre queixa e questão está na atitude aplicada a cada situação vivida. Enquanto só ficar na zona de conforto, acostumado com a situação insatisfatória (e conhecida), lidando com isso negando-a ou postergando o enfrentamento da mesma, tudo permanecerá igual. E será só mais uma coletânea de reclamações.

Quando você se sentir incomodado ao ponto de querer mudar, quando a necessidade de mudança for legítima, você sairá dessa zona de conforto e conseguirá encontrar a solução. Aí, nesse instante, a sua queixa terá virado uma questão a ser tratada, algo incomodo, desconfortável que clama por mudança. Sendo assim, você conseguirá ter atitudes diferentes, com resultados diferentes.

E, vamos combinar, a vida se torna bem mais leve e prática quando tratamos nossas questões e evoluímos.

Deixo aqui essa dica para você:

“Avalie os aspectos insatisfatórios da sua vida e veja se os trata como queixas ou questões.”

Depois, trate de ver quais mudanças de atitudes precisa ter para resolver cada questão e mude, seguindo em frente, descobrindo o quão leve e prazerosa a vida pode ser sem esses pesos das queixas (e questões).

Luz na caminhada!

Um comentário

  • luizshigunov

    Muito interessante essa diferença entre queixa e questão. Vou reparar mais se estou apenas me queixando. Sair da zona de conforto não é facil e requer força de vontade. O falar precisa se tornar em fazer. Atitude!

Deixe um comentário para luizshigunov Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *