Azar no amor romântico, sorte no amor próprio.

images-tile

Quem aqui nunca viu uma pessoa querida sofrer por amor? Quem aqui nunca passou por isso?

Eu já vi e vivi isso algumas vezes.

Quando passei por isso, e foram cinco longos anos sozinha, a solução que encontrei para não me martirizar e alimentar a solidão e o sofrimento foi focar todas as minhas energias e meus pensamentos no meu amor próprio. Troquei o foco de um amor romântico pelo amor que eu tinha o total poder em minhas mãos de realizar, o amor por mim mesma.

Disse para mim: “Carolina, Basta! Se você não consegue encontrar ninguém que possa cuidar, respeitar, ouvir, conversar e lhe fazer feliz, faça por conta própria”.

A partir da decisão tomada passei a prestar mais atenção em mim: um trabalho de autoconhecimento. Olhei para os lados não em busca de um homem que me amasse, mas sim para procurar quem já estava ali e me dava carinho, se preocupava comigo, percebi que tinha amigas e a minha família que se importavam comigo e estavam presentes na minha vida sem me deixar ficar sozinha e melancólica. Reparei que precisava me concentrar mais no trabalho e começar a alcançar as metas que havia traçado para mim. E assim fui tocando minha vida, um dia após o outro, estudando, trabalhando, curtindo minha família, meus amigos, passeando, ficando em forma, lendo, escrevendo e os anos foram passando sem o peso por não ter um namorado.

Obviamente não foram cinco anos de flores e purpurina no ar. Tinha dias que acordava e a solidão batia, principalmente, quando não tinha com quem conversar porque as amigas estavam todas namorando ou em família todos estavam viajando ou trabalhando. Nesses dias cinzentos eu escrevia para aliviar o peito da dor que estava sentindo.

Sempre haverá um dia após o outro, e, no dia seguinte, eu já amanhecia mais serena e olhando para a vida com mais esperança e alegria.

Portanto, o meu texto hoje é dedicado a você que está sofrendo por ainda não ter encontrado um amor romântico. Por ter se decepcionado mais uma vez. Repense sua vida, suas escolhas, suas prioridades, veja se há algum outro aspecto na sua vida que precisa de atenção e trate disso.

Às vezes, estamos tão descontentes e carentes que parece que a única solução para a nossa vida é encontrar alguém para ocupar esse vazio que sentimos dentro do peito, mas, acredite essa não é a solução. O outro só poderá nos preencher com aquilo que ele souber, tiver e quiser nos dá. E, na maioria das vezes, será bem menos do que realmente precisamos, pois, nossas necessidades só são sabidas, com precisão, por nós.

Olhe-se no espelho e veja seu corpo, será que está tudo em dia mesmo? Você está satisfeito com o que vê? Ou será que há algo a melhorar? Se tiver, coloque aí suas energias, sua atenção, seu foco, sua meta, sua preocupação. Cuide-se. E no trabalho? Está feliz lá? Suas metas pessoais estão alcançadas? Ou será que está na hora de dar uma virada? Um novo curso para concorrer aquela promoção pode ser um caminho? E sua mente como vai? Cheia? Tensa? Com tanto ruído que você mal consegue se escutar? Talvez seja uma boa silenciar, buscar algo que lhe tranquilize, que lhe ajude a parar e se ouvir, identificando o que sua alma está pedindo. Que tal tentar yoga, dança, terapia, reiki, não sei, também não sabe? Está aí outra coisa para focar: descubra o que pode lhe renovar e estimular o autoconhecimento. Seus amigos? Há quanto tempo não fala com aquela amiga querida que mora longe? Que tal ligar? Marcar um chopp? Qual foi a última vez que você viajou? Isso, viajou, nem precisa ser para muito longe, mas quando foi a última vez que você se permitiu sair da rotina, trocar de lugar, conhecer um novo pedaço do mundo? Faz tempo, hein. Talvez seja uma ótima hora para olhar o preço das pousadas naquele lugar super bacana que você quer conhecer há um tempão. E não é só isso, tem além da hospedagem, o transporte, o roteiro dos pontos turísticos, a mala, o clima, e quem sabe uma boa companhia (mãe, amiga, prima, quem seria uma boa ideia?). Nossa viu quanta coisa tem na sua vida que você está deixando de pensar, de resolver, de experimentar, de conhecer porque sua intenção está exclusivamente no amor romântico? Muita né.

Só que esse tipo de amor não depende exclusivamente de você. É preciso que haja no mundo outra pessoa na mesma sintonia que a sua e que também esteja tão disposto quanto você a embarcar nessa. E, ultimamente você não tem encontrado pessoas assim, certo? Então, talvez seja melhor trocar o disco, ouvir outra música e dançar conforme a vida está permitindo.

“As melhores coisas acontecem quando menos esperamos.”

Espero que você evolua, se cure, se ame e seja muito feliz.

Luz na caminhada (e no coração).

3 comentários

  1. Isso aí. Aproveitar o melhor de cada momento. Não é nada fácil no calor do momento refletir e ver o que está errado para conseguir mudar. Acho que isso vem com a prática da auto análise. Sem dúvida os amigos podem e devem ajudar, mas só vc pode fazer acontecer.

  2. Obrigado pelo texto. Apesar de eu já ter feito isso em uma fase da minha, eu já estava me perdendo novamente. Foi bom relembrar.

    Abraço!

  3. Dayane

    Ótimo texto! Já tem um tempinho que passei a tomar atitudes parecidas como as sugeridas pelo texto! Só esse ano já fiz três pequenas viagens com a minha mãe e iniciei um curso que estava adiando!
    Hoje me sinto muito melhor comigo mesma, mesmo sem um amor romântico!
    Enquanto ele não aparece vamos colocando em ordem os dos outros setores!!!
    Adorei o texto! Parabéns!

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *