Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher – O suficiente basta.

O suficiente basta_Chris

Amo e faço muito uso de uma ideia de Leonardo Boff – “os olhos veem a partir de onde os pés pisam, porque todo ponto de vista é apenas a vista de um ponto”.

Meus amigos, pacientes e clientes certamente já a ouviram mais de uma vez. Talvez porque não sejam poucas as situações nas quais nos confrontamos com o fato inequívoco de que existe vida para além de nossos próprios umbigos.
Falar da diferença, falar do modo particular com o qual cada um de nós interpreta e reage frente aos fatos da vida é possível e intelectualmente bastante excitante, até. A prática desse discurso, porém, fatalmente nos impõe desafios muito maiores e esses estão distantes do jogo bem articulado de conceitos elaborados ou de uma fala eloquente.
Viver COM, NA ou A PARTIR DA diferença nos coloca frente a frente com a parcialidade de nossas verdades.

Diferentes pontos de uma mesma vista.

Compor com o outro, encontrar um lugar, que a despeito das diferenças seja confortável, não é fácil e nem sempre desejável, sejamos francos. A anuência do outro poderia tornar as coisas tão mais fáceis…

Noutro dia lendo as Memórias, Sonhos e Reflexões de Jung me deparei com uma frase de Nietzsche cuja contundência causou um impacto ainda maior que a do Boff, muito embora falem do mesmo. Nela ele dizia: “Esperamos que estejamos longe da ridícula pretensão de decretar que nosso pequeno canto seja o único a partir do qual tenhamos o direito de ter uma perspectiva”. Nietzsche e sua sutileza…ui!

Ocorreu-me então algo também há muito já sabido.
Nosso pequeno canto, apesar de pequeno, ao comportar outros espaços (outros eus em nós mesmos) nos confronta com essa ridícula pretensão quando decretamos nossas perspectivas como se fossem eternas.

Essa frase de Nietzsche me provoca por trazer um outro atributo da verdade. Além de parcial ela é temporária.

……

No mês da mulher, diante de tantos e tão intensos acontecimentos, em campos tão diversos, só me ocorre tomar a observação de uma pessoa a quem além de amar, respeito muito, meu filho: não busquemos por “igualdade”, não somos iguais, nunca seremos, graças a Deus! Busquemos, digo, continuemos buscando, por respeito!

……

O suficiente basta.

……

Christiane Vilhena

meu filho: Lucas Vilhena Bittencourt


Para saber um pouco mais sobre a nossa convidada, acesse:

https://www.facebook.com/versarepsicoaching

http//instagram.com/versarecoaching

 

Um comentário

  • Janyr Souza

    Texto lindo. Admiro cada vez mais essa Mulher incrível,Christiane Vilhena, não só por razões particulares mas pela brilhante profissional que é.Parabéns pelo nosso dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *