Falando de saúde, bem-estar e beleza – O Papel da dança na terceira idade.

Fonte da foto: Google

Fonte da foto: Google

 

Por Carlos Souza, fisioterapeuta.

A prática  de exercícios físicos é fundamental na vida de todo ser humano, no entanto, muitos não  gostam. Mas, para aqueles que não  querem levar uma vida sedentária e não sabem qual atividade escolher, a dança pode ser uma boa opção.

Sabe-se que durante  muitos anos que ela foi considerada apenas um instrumento de lazer. Porém,  uma pesquisa realizada na Itália  mostrou que a prática  possui inúmeros benefícios para a saúde do coração, além  de aumentar a capacidade respiratória e melhorar assim, a qualidade de vida do praticante.

O controle dos ponteiros da balança  é  mais  um proveito tirado por quem costuma “mexer o esqueleto “. Afinal, na terceira idade é  muito comum ocorrer o aumento  de peso, já  que a diminuição  dos níveis  hormonais  no organismo colaboram para a perda de massa muscular agravando numa queima menor de calorias.

Todavia, essas não são as únicas  vantagens encontradas por quem  costuma movimentar -se ao ritmo de uma canção. Dançar nessa fase da vida contribui  para um melhor condicionamento físico e mental,  ajuda a elevar  a autoestima e afastar os sintomas da depressão, melhorando o humor e o sono.

Dançar em salões coopera para uma mudança significativa de comportamento do praticante que passa a ser menos tímido  e aprende a ter mais confiança. Mais uma  vantagem: ela ajuda a manter o cérebro em plena atividade, melhorando dessa forma a coordenação motora e a concentração, pois eleva a circulação  cerebral em áreas adormecidas.

Isto porque esses estímulos aumentam as conexões  neuronais, proporcionando ao idoso maiores habilidades no aprendizado, raciocínio e na memória. Mediante a isso, reduz o estresse e a ansiedade.

Então,  o que você  está esperando para aproveitar todos esses benefícios e se arriscar nos primeiros passos?  Vale a pena praticar essa atividade porque não tem contraindicação!

E  como diz o velho ditado: “Quem dança  seus males espanta.” Não é  verdade?

E aí, vamos dançar?

Fonte: Equipe Terceira Idade.
Em: Arte e  Cultura.

Um comentário

  1. Eu gosto de dançar apesar de eu saber que sou bem desajeitado dançando! 🙂

    Quem sabe com a prática vou melhorando.

E então, gostou? Me diga aqui no comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *