maternidade-sobrecarga
Conversas de Mãe

Maternidade, Trabalho, Faculdade e Pandemia – o surto nosso de cada dia.

Oi Gente,

Estou nessas últimas semanas sumida porque tem sido dias bem cansativos.

Quem me acompanha aqui sabe da minha transição de carreira, estou no quinto semestre de Psicologia e continuo atuando na minha área de formação inicial com mentoria de carreira.

Na faculdade atuo nos três pilares da formação: ensino, pesquisa e extensão e esse semestre a sobrecarga está elevada. Professoras exigindo diversos trabalhos em grupos, disciplinas bem desmotivantes e esse EAD infindável torna tudo mais estafante e desanimador.

Minha filha está com três anos e não chegou na fase de brincar sozinha, então, acaba demandando atenção o tempo todo.

Não sei vocês mas eu estou a cada dia mais cansada desse home office coercitivo. Desolada com a falta de políticas públicas em relação a pandemia, a vacinação a passos lentos e a cada dia uma notícia pior do que a outra sobre o nosso país. Parei de ver noticiários tem um mês e me atualizo só das principais notícias. Estava entrando num ciclo de tristeza e descrença tão grande com tudo isso que comecei a sentir medo de seguir por esse caminho. Resolvi me alienar de propósito e deixar apenas com que as principais notícias cheguem até a mim.

A falta de compreensão e empatia por conta da faculdade é outro ponto desanimador. No ano passado, assim que entramos nessa modalidade de ensino à distância também sobrecarregou demais a mim e muitos colegas, naquela época levei essa insatisfação e dificuldade à coordenação da época e fomos prontamente escutados e apoiados. Esse ano, este tem sido o semestre no EaD mais cansativo e a resposta da coordenação atual foi simplesmente resolvam por conta própria com cada docente. Desanimador, né?

Algumas colegas como eu são mães e muitas não tem nenhuma rede de apoio, o que faz com que maternar e estudar se torne um esforço hercúleo. Geralmente expomos nossa dificuldade no grupo do whatsapp da sala, mas a ínfima minoria se manisfesta e se importa. Eu fico incrédula em reparar como grande parte das pessoas, estudantes de Psicologia, são tão indiferentes com as dificuldades alheias. Não tem nenhuma empatia com quem está demonstrando dificuldade, ignoram solenemente. Sabe aquilo? Está bom para mim, então não me importa se está ruim para você. Tristeza, viu!?

Além da faculdade, da maternidade tem o trabalho que também é algo que consome, exige atenção, escuta, planejamento, orientação e disponibilidade. Honro o meu trabalho dedicando o meu melhor, mas confesso que tem sido bem difícil manter o padrão.

Fora a rotina da casa: limpar, arrumar, organizar e a maternidade. Sou muito grata a minha mãe e meu marido que me apoiam, mas o ritmo dos estudos está sendo tão frenético que a sensação é que não descanso nunca, nem quando estou ociosa porque a cabeça não descansa.

Muitos estudos indicam que essa pandemia está sobrecarregando muito mais a nós, mulheres e mães, do que aos homens, pessoas sem filhos etc. Sinto na pele isso todos os dias.

Às vezes é tão cansativo o dia que acabo surtando, ou talvez dê pequenos surtos diários, é a louça suja, os brinquedos espalhados, a filha que quer brincar e não faz silêncio… e o pior… a rotina é assim dia após dia… não dá para escapar da rotina em um final de semana e viajar, jantar fora, ir a praia, nada disso. Com os casos de contágio e mortes crescendo a cada dia nem ouço me arriscar e nem arriscar minha família.

Por isso, nesse texto-desabafo reforço aqui que se você é chefe, colega de trabalho, colega de estudo, amiga, marido, esposa, irmã, enfim, conhece alguma mulher que seja mãe, trabalhe e estude seja paciente com ela, ofereça apoio, escuta, ajuda e não exija nada. Elas, certamente, estão como eu fatigadas e beirando à exaustão. Seja gentil com elas.

E para você amiga, que está vivendo esse ritmo intenso e frenético de rotina, respira. Uma amiga minha me lembrou isso hoje: “Carol você só está cansada, lembre de respirar em silêncio.” na hora fiz minha prática de respiração e baixei a agitação mental. Respire amiga. Cole lembrete no computador como eu fiz, na porta da geladeira, no guarda-roupa, no espelho do banheiro em vários cantos da casa lembrando você de:

RESPIRAR antes de responder,

RESPIRAR antes de sair do computador,

RESPIRAR antes de falar com as crianças e as pessoas da família,

RESPIRAR antes de responder no whatsapp.

 

R E S P I R A R em silêncio é uma técnica poderosa capaz de impedir nossos pequenos surtos diários.

 

Clique aqui e veja um vídeo com uma técnica rápida de dois minutos que você pode fazer.

E também se quiser, sugiro esse aplicativo respiração e relaxamento gratuito (clique aqui para baixar).

Espero que tudo isso passe logo.

Espero que a vacina alcance a todos.

Espero que fiquemos todos bem, com saúde física e mental.

Um comentário

Deixe uma resposta para Nathy RIbeiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *